• Machado

Ohayou gozaimasu!

Treine enquanto eles dormem, estude enquanto eles se divertem, persista enquanto eles descansam, e então, viva o que eles sonham.” Provérbio japonês. Bom, meu sangue japonês corre nas veias. Sou neta de japonês: meu avô se chamava Ringiro Higashi (in memoriam), trabalhou por longos anos como tradutor & intérprete da Usiminas, Empresa do setor siderúrgico, líder na produção e comercialização de aços planos laminados a frio e a quente, bobinas, placas e revestimentos, destinados, principalmente, aos setores de bens de capital e de bens de consumo da linha branca, além da indústria automotiva. O idioma japonês é bastante desafiador, “nihongo”, não é para qualquer um dominar e com fluência. A escrita japonesa então, ainda mais complexa. Admiro muito a cultura e a língua japonesa, pois conta com uma fonotaxia simples, com um sistema de vogais puras, vogais fonêmica s e comprimento de consoante e sotaque lexicalmente significativo. A ordem das palavras, pelo pouco que sei, é formada por sujeito, seguido do objeto e o verbo. O detalhe é que as partículas das sentenças finais são usadas para transmitir o impacto emocional e enfático, e ainda, usadas para fazer as perguntas! É com muito orgulho que decidimos adicionar a língua japonesa, na lista de idiomas, visando atender ainda melhor aos nossos clientes porque: “Quem se levanta, atravessa fronteiras!” Sayonara!

7 visualizações